NADAR E NADAR E MORRER NO MAR.

Passamos a vida inteira fazendo escolhas, às vezes nos saímos bem nelas, às vezes não.
.
Na minha última formação em Psicanálise eu comecei a entender que várias de nossas ações e "escolhas" como seres humanos é diante coisas que nossos país transmitiram para nós em nossa infância. Essas atitudes podem variar desde dar a super proteção e mimo para o individuo a ponto dele se tornar um adulto infantil e achar no seu inconsciente que os pais estarão ali a vida inteira te bancando ou não aceitar criticas de nada e achar que estão sempre certos e agir com crueldade para com os outros e achar que irão ficar impunes à isso.
.
Por outro lado, existem pais que te fazem acreditar que você não é capaz, que ninguém nunca irá gostar de você, que você é feio, que outras mulheres irão roubar seu namorado e/ou marido e que você não merece o melhor e inconscientemente você acaba se sabotando em várias coisas que você faz, seja no profissional, nos tipos de amizade que você atrai e até nos tipos de relação que você acaba procurando, porque lá no fundo no seu inconsciente você acredita que não é merecedor daquilo, porque esses "pais" que não deveriam nunca ter sido pais, te fizeram acreditar que você é menos importante do que as demais pessoas.
Você passa uma vida inteira correndo e correndo para ser alguém melhor e mostrar algo para si mesmo, às vezes você consegue até algo ou alguém bom, só que, meio do caminho toma decisões que no momento achava que era melhor, mas na verdade era de auto sabotagem (porque no fundo, mesmo não sendo de forma consciente você acredita que você não é merecedor) e ai você chega em um ponto que nada mais parece fazer sentido e se esforçou tanto para nada .... nadou, nadou e a praia que parecia estar perto era só uma ilusão, ela começa a ficar longe novamente, e ai você perde as forças e morre no mar.
.
Se você você tem algum problema dentro de você, não tenha filhos achando que aquilo será a cura, você pode transmitir para ele, algo que que está mal resolvido com você e nenhum ser vivo é estorvo de seus males pessoais. Se você não tem condições de dar algo digno para o outro, seja o respeito, bons cuidados, deixa para quem possa dar, por mais que te doa. Não seja mesquinho (a) de manter uma vida junto a ti, por vaidade ou ignorância, sendo que você não pode dar o melhor para ele(a). Nenhum ser vivo merece sofrer por nossas atitudes inconsequentes, para isso, já temos nossos políticos que fazem muito bem esse papel, desde que o mundo é mundo.